Após proibição do TCU, OAS não parcipará de obras federais “Duplicação da 415 fica travada” - Cannes News

AUDIO

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Após proibição do TCU, OAS não parcipará de obras federais “Duplicação da 415 fica travada”


A empreiteira OAS vencedora da licitação especial (RDD), para a construção da nova pista da Rodovia Ilhéus/Itabuna ficando nas margens direita do Rio Cachoeira está punida pela justiça.
O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu punir a Construtora proibindo-a de firmar contratos com o governo federal pelos próximos cinco anos, a punição veio após investigação de fraudes na licitação das obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Com a decisão do TCU, as obras da duplicação da Ilhéus-Itabuna ficaram afetas.
Segundo as informações do Jornal a Região, a vistoria técnica do Tribunal de Contas da União encontrou diversos problemas, que podem resultar em sério aumento de custos depois de iniciada a obra, segundo o relator Luciano Brandão.
A duplicação, que na verdade é uma nova estrada, do outro lado do Rio Cachoeira, teve vários de seus detalhes discutidos com o Governo do Estado mas, segundo o relator do tribunal, “não foi obtido qualquer esclarecimento consistente por parte da Seinfra/BA e do Dnit/BA”.
O contrato, de R$ 105 milhões, feito com a OAS prevê o uso de tecnologias ultrapassadas, mais caras e não adequadas a uma obra deste porte. A preocupação do TCU é que, depois de iniciada a obra, a OAS poderia adotar as tecnologias certas e mais baratas, embolsando a diferença de custo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.